sábado, 18 de julho de 2009

can I be electric too?

Nos próximos dias estarei viajando pros confins do Nordeste brasileiro, lá no Estado do Piauí. Talvez um dos Estados mais importantes (ou não) da região. Mas certamente a cidade para qual eu vou não é das mais importantes (obviamente não encaro isso como um problema). Mas tudo bem: praticamente visito a tal cidade – Anísio de Abreu – todos os anos, e pra mim é sempre o mesmo porre. Um calor desgraçado, uma caralhada de mosquitos chatos no teu ouvido e comendo tuas pernas, pés, braços (se vacilar comem seu cu também), e um tédio infernal (2 canais – Globo e Record - na TV da casa onde eu fico, sem computador e tão pouco internet). Mas, apesar de tudo, no fundo no fundo eu até que gosto daquele lugar chato, lugar de origem da minha mãe e onde estão a maioria dos familiares dessa parte da família... até que eu curto. Ou não.

Esse ano irei no mês de Julho numa ocasião especial: centenário da minha guerreira bisavó. Todos os anos eu esperneio muito pra não ir (todos os anos em vão), mas dessa vez eu vou com mais sentimento de obrigação do que anteriormente, devido aos 100 anos da velhinha (praticamente a gigantesca família da minha mãe vai estar lá por inteira pra prestigiar essa ocasião única). Como já me aconselharam e eu já coloquei na cabeça: irei aproveitar o máximo que der lá – mesmo que seja pouco.

O que me deixa mais cabreiro é a viagem em si. As paisagens que são vistas até que são legais, mas os riscos são grandes, já que são praticamente 6000km percorridos (somando ida e volta)... de carro (!). A cidade fica no sul do Piauí (longe da capital Teresina) e o aeroporto mais próximo é bem longe. A viagem de carro é cansativa de verdade, afinal, são aproximadamente 27 horas da minha casa até a casa da minha vó (pelo menos essa foi a conta que eu me lembro que meu pai fez uma vez). Mas o real motivo do meu medo é de acidentes na estrada.

A minha vida e a vida da minha família já esteve ameaçada mais de uma vez em algumas dessas viagens afora. Óleo na pista, falha mecânica, estradas arrebentadas, imprudência dos outros motoristas e do motorista do meu carro (no caso, meu pai). Em um desses incidentes – que por pouco não se tornou um acidente – eu cheguei a ter um flashback da minha vida inteira em questão de centésimos, enquanto um Gol vermelho vinha vindo em alta velocidade contra o carro em que eu estava. Foi uma das sensações mais escrotas da minha vida inteira, e quase que literalmente, por um fio não aconteceu uma tragédia (sem querer ser dramático, mas é verdade). Depois fiquei pelo menos uns 5 minutos sem reação nenhuma, apenas olhava pra pista e assistia os carros passando, sem pensar em nada.

No geral, viagens até o Piauí – ida e volta – são como aventuras. Mas eu realmente prefiro ficar vivo a me aventurar dessa maneira haha... eu vou voltar.


5 comentários:

Leo - It's a long way... disse...

"(se vacilar comem seu cu também)" hashaushaushasu rialto desas parte =)

Fernando Franca disse...

o.O
Só uma coisa, cuidado :D

Thatiany disse...

muito engraçado seu texto!!! realmente, chegar até a cidade da Vó é uma aventura!!!

GABIZIINHA ;* disse...

Gus!
Boa viagem cara!
volta beem! - e com o cu intacto :D
Se cuida! e manda os parabéns pra tua centenária bisa-guerreira!
eu queria ter conhecido minhas bisas :/

black beijoooooooooooooooos xD

yukitori disse...

E aew, cadê o post contando como foi a viagem? =P